[layerslider id=”3″]

A Gênese é uma das cinco obras básicas da Codificação do Espiritismo. É um livro que, conhecido e estudado, proporciona uma oportunidade excepcional de imersão em grandes temas de interesse universal, abordados de forma lógica, racional e reveladora. Divide-se em três partes: na primeira parte, analisa a origem do planeta Terra, de forma coerente, fugindo às interpretações misteriosas e mágicas sobre a criação do mundo; na segunda, aborda a questão dos milagres, explicando a natureza dos fluidos e os fatos extraordinários contidos no Evangelho; na terceira enfoca as predições do Evangelho, os sinais dos tempos e a geração nova, que marcará um novo tempo no mundo com a prática da justiça, da paz e da fraternidade. Os assuntos apresentados nos dezoito capítulos desta obra têm como base a imutabilidade das grandiosas leis divinas.
Print Friendly, PDF & Email

CAPÍTULO XVII – PREDIÇÕES DO EVANGELHO

MINHAS PALAVRAS NUNCA PASSARÃO

24. – Então, seus discípulos, aproximando-se, disseram-lhe: Sabeis bem que os fariseus tendo entendido o que vós viestes a dizer, ficaram escandalizados? – Mas ele respondeu: Toda planta que meu pai celeste nunca tenha plantado, será arrancada. – Deixai-os; são cegos que conduzem cegos; se um cego conduz outro, eles cairão, os dois, na fossa. (São Mateus, cap. XV, v. 12 a 14)

 

25. – O Céu e a Terra passarão, mas minhas palavras nunca passarão. (São Mateus, cap. XXIV, v. 35)

 

26. – As palavras de Jesus nunca passarão porque serão verdadeiras em todos os tempos; seu código moral será eterno porque encerra as condições do bem que conduz o homem a seu destino eterno. Mas suas palavras são chegadas até nós puras de toda mistura e de falsas interpretações? Todas as seitas cristãs têm tomado o espírito? Nenhuma terá desviado o verdadeiro sentido por sequência dos julgamentos e da ignorância das leis da natureza? Nenhuma fez dela um instrumento de domínio para servir a ambições e a interesses materiais, um estribo não para se elevar aos céus, mas para se elevar na Terra? Todas são elas propostas como regra de conduta à pratica das virtudes da qual fez a condição expressa da salvação? Todas são isentas de censura que ele endereçava aos fariseus de seu tempo? Todas, enfim, são elas em teoria como em prática, a expressão pura da sua doutrina?

A verdade, sendo uma, não pode se encontrar em afirmações contrárias e Jesus não poderia querer dar um duplo sentido às palavras. Se, pois, as diferentes seitas se contradiziam, se umas consideravam como verdade o que outras condenavam como heresia, é impossível que estejam todas elas com a verdade. Se todas tivessem tomado o sentido verdadeiro do ensinamento evangélico, elas iriam se encontrar sobre o mesmo terreno e não haveria tido seitas.

O que não passará é o senso verdadeiro das palavras de Jesus; o eu passará é o que os homens estabeleceram sobre o senso falso que deram às suas próprias palavras.

Jesus tendo missão de trazer aos homens o pensamento de Deus, sua doutrina pura pode ser somente a expressão desse pensamento; é por isso que ele disse: Toda planta que meu Pai celeste nunca plantou será arrancada.

Print Friendly, PDF & Email