[layerslider id=”8″]

Livro Obras Póstumas

ALLAN KARDEC
3 DE OUTUBRO DE 1804 • 31 DE MARÇO DE 1869
FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA
Tradução de Guillon Ribeiro

 

Print Friendly, PDF & Email

Livro Obras Póstumas – OP

SEGUNDA PARTE

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA DOUTRINA ESPÍRITA, RECONHECIDOS COMO VERDADES INCONCUSSAS

A morte corpórea de Allan Kardec interrompeu as Obras desse Espírito eminente; este volume termina sobre um ponto de interrogação, e muitos leitores quereriam vê -lo resolvido logicamente, como o sabia fazer o douto professor em Espiritismo; sem dúvida, isso deveria ser assim.

No Congresso Espírita e Espiritualista Internacional de 1890, os delegados declararam que, desde 1869, os estudos seguintes tinham revelado coisas novas, e que, segundo o ensinamento preconizado por Allan Kardec, alguns dos princípios do Espiritismo, sobre os quais o mestre baseara seu ensinamento, deveriam ser coloc ados no ponto e de acordo com os progressos da ciência há 20 anos.

Essa corrente de ideias, comum aos delegados vindos de todas as partes da Terra, provou que um volume novo deveria ser feito, para casar o ensinamento de Allan Kardec com aquele que nos dá, constantemente, a procura da verdade.

Essa será a obra da Comissão de Propaganda; contamos muito com os bons conselhos de nosso F. S. I. (Féderation Spirite Internationale) que provou ao Congresso a sua competência, sobre as mais altas questões filosóficas, para secundar a comissão nessa composição de um trabalho coletivo, sem cessar progressivo; esse volume deverá, ele mesmo, a seu turno, ser posto ao ponto, quando um novo Congresso lhe terá decidido . “A ciência, disse Allan Kardec, está chamada a constituir a verdadeira gênese segundo as leis da Natureza.

“As descobertas da ciência glorificam a Deus em lugar de rebaixá -lo; não destroem senão o que os homens edificaram sobr e as ideias falsas que se fizeram de Deus.

“O Espiritismo, caminhando com o progresso, não será jamais ultrapassado, porque se novas descobertas lhe demonstrarem que estava no erro sobre um ponto, modificar -se-á sobre esse ponto; se uma nova verdade se re vela, ele a aceita.” (A Gênese, cap. I, item 55..)

P.G.Leymarie.

Print Friendly, PDF & Email