Livro O que é o Espiritismo

Tradução de: Qu’est-ce que le spiritisme [tradução da Redação de Reformador em 1884] – 56ª edição. 1ª impressão. – Brasília: FEB, 2013.  Conteúdo parcial: Biografia de Allan Kardec / por Henri Sausse. (Federação Espírita Brasileira – Biblioteca de Obras Raras) O que é o Espiritismo / por Allan Kardec, 1804–1869. Introdução ao conhecimento do mundo invisível, pelas manifestações dos espíritos. Contendo o resumo dos princípios da doutrina cristã espírita e resposta às principais objeções que podem ser apresentadas.

POSFÁCIO

O PRIMEIRO LIVRO PUBLICADO SOB OS AUSPÍCIOS DA FEB (24)

Depois de O livro dos espíritos (1857), Instrução prática sobre as manifestações espíritas (1858) e a Revista espírita (1858), Allan Kardec lança em Paris, Qu’est-ce que le spiritisme (O que é o espiritismo), em julho de 1859, sendo editores o livreiro Ledoyen e o escritório da Revista espírita, impresso por Beau, 104 p., custando 60 centavos o exemplar, com o subtítulo: Introduction a la connaissance du monde invisible ou des esprits contenant les principes fondamentaux de la doctrina spirite et la réponse a quelques objections préjudicielles (Introdução ao conhecimento do mundo invisível ou dos espíritos, contendo os princípios fundamentais da doutrina espírita e a resposta a quaisquer objeções prejudiciais). Nessa edição inicial, constava o preâmbulo e dois capítulos: Pequena Conferência Espírita e o Resumo da Doutrina Espírita, além de uma interessante curiosidade bibliográfica: o sumário dos capítulos de O livro dos espíritos em cinco livros, anunciado pelo preço de 3 francos o volume, que nunca chegou ao prelo.

Na 3a edição de 1862, inteiramente revista e consideravelmente aumentada, pelos editores de O livro dos espíritos e o escritório da Revista Espírita, impresso por L. Toinon e Cia., 140 p., 75 centavos, o subtítulo de O que é o espiritismo muda para Guide de l’observateur novice dans les manifestations des esprits contenant le résumé des principes de la doctrine spirite (Guia do observador novato nas manifestações dos espíritos contendo o resumo dos princípios da doutrina espírita). Na 6a edição de 1865, novamente revista e consideravelmente aumentada, Livraria Didier e Cia, na imprensa de P. A. Bourdier, valendo 1 franco o exemplar com 182 p., o subtítulo definitivo ficou assim:
Introduction a la connaissance du monde invisible par les manifestations des esprits contenant le résumé des principes de la doctrine spirite et la réponse aux principales objections (Introdução ao conhecimento do mundo invisível pelas manifestações dos espíritos contendo o resumo dos princípios da doutrina espírita e a resposta às principais objeções). No Sumário passou a constar os capítulos:

Preâmbulo, Pequena Conferência Espírita, Noções elementares de Espiritismo e Solução de alguns problemas pela Doutrina Espírita, e o aparecimento do axioma:
“Hors la charité, point de salut.” (“Fora da caridade não há salvação.”) Dessa edição em diante, não houve mais modificações, nem mesmo nas 7a e 8a edições (1868), ainda em vida do autor, prova disso é o exemplar da 19ª edição, publicado entre 1874 e 1878, pela Livraria de Ciências Psicológicas, impresso por A. Davy, 182 p., que é tipograficamente idêntico ao da 6a edição (1866), exceto por uma modificação mínima à p. 77: a denominação Sociedade Espírita de Paris transforma-se em Sociedade para a continuação das obras espíritas de Allan Kardec, rua de Lille, 7.

Quando relacionado como propaganda em obras espíritas francesas, principalmente nas de autoria de Allan Kardec e em folhas de rosto de edições francesas modernas, o título O que é o espiritismo, está quase sempre acompanhado de uma interrogação.

Florentino Barreira (Resumo analítico das obras de Allan Kardec, USE/Madras, 2003, p. 110) cataloga 23 edições francesas até o ano de 1920. A 40a edição, sem data, pela Livraria de Ciências Psíquicas, teve uma tiragem de 45 mil exemplares.

Exemplares da 2a edição de 1860, de O que é o espiritismo, foram queimados com outros livros e publicações espíritas, em 9 de outubro de 1861, no episódio que ficou conhecido como auto de fé de Barcelona.

Alverico Perón, pseudônimo de Enrique Pastor y Bedoya (1833––1897), autor de considerável bibliografia espírita, publicou em 1861, como anônimo, no periódico madrilenho La Razón, a Carta de un espiritista (Carta de um espírita), a D. Francisco de Paula Canalejas, dos primeiros impressos dados à luz na Espanha, com extratos de O que é o espiritismo. Em 1865, uma nova edição impressa na Tipografia de Manuel Galiano, Plaza de los Ministérios, 3, foi dedicada “Ao senhor Allan Kardec, o primeiro que descreveu com método e coordenou com clareza os princípios filosóficos da nova escola […]”. (Flama espirita, octubre/diciembre 2006, p. 3 e 4 e Revista espírita de abril de 1867, p. 183, FEB, tradução de Evandro Noleto Bezerra.)

As versões iniciais em idiomas estrangeiros correspondem ao polonês e alemão (1864), espanhol (México, 1868–Barcelona, 1877–Buenos Aires, 1880), holandês (1876), grego moderno (1877) e italiano (1884).

A primeira tradução em idioma português de O que é o espiritismo, seguido do subtítulo Introdução ao conhecimento do mundo invisível pela manifestação dos espíritos, contendo o resumo dos princípios da doutrina espírita e a resposta às principais objeções e do lema “Sem caridade não há salvação”, oferecida à Comissão Confraternizadora da Sociedade Acadêmica “Deus, Cristo e Caridade”, pelo escritor carioca João Zeferino Rangel de S. Paio (1838–1893), veio a lume nas colunas de Reformador de 1o de fevereiro de 1883 a 15 de outubro de 1884.

Meses antes do término da publicação em capítulos, Reformador de 1o de abril de 1884, anunciava que O que é o espiritismo, era vendido na Livraria Garnier, à rua do Ouvidor, 71, ao preço de 1.000 réis. Tratava-se de nova tradução, pela redação de Reformador, o primeiro livro publicado pela então nascente Federação Espírita Brasileira. Não foi encontrado nenhum exemplar dessa edição, nem mesmo no valioso acervo da Biblioteca de Obras Raras da FEB, embora exista citação de um, não localizado, no Catálogo de Livros Espíritas, organizado pela Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. A Revista Ilustrada, de Ângelo Agostini, de março de 1884, p. 6, confirma a existência do pequeno volume que ocupava 224 p. e de tamanho in-12.

A livraria de João Martins, rua São José, no Rio de Janeiro, anunciava entre os livros de mágica e Espiritismo, no jornal de Gazeta de Notícias, de 16 de janeiro de 1886, um volume de O que é o espiritismo, ao preço de 600 réis.

Só se conhece o texto completo dessa tradução de 1884, de O que é o espiritismo, por meio da 2a edição de 1893, confirmando a versão portuguesa pela redação de Reformador, órgão da Federação Espírita Brasileira, com 175 p., na Tipografia Moreira Maximiano & C., rua do Ouvidor, 90, Rio de Janeiro. Estavam presentes no frontispício, o subtítulo Introdução ao conhecimento do mundo invisível pelas manifestações dos espíritos, contendo o resumo dos princípios da doutrina espírita e respostas às principais objeções que podem ser apresentadas; as expressões “Fora da caridade não há salvação” e “Noções elementares de Espiritismo”, que passa a fazer parte do título. Observa-se em relação ao original francês, que a palavra resposta está no plural e o surgimento da frase: que podem ser apresentadas.

Reformador de 31 de março de 1885 divide Noções elementares de Espiritismo, que é o nome do capítulo II de O que é o espiritismo, em duas obras, qualificando-as de “uns pequenos resumos da Doutrina Espírita”. Anúncios com esse desmembramento estão presentes em Reformador dos anos de 1885 e 1886.

Em tom crítico o jornal carioca O Paiz, de 27 de novembro de 1884, destaca:
“Noções elementares de espiritismo – É uma versão portuguesa pela comissão de redação de Reformador, que tem muito desejo de ensinar-nos o que é o espiritismo. Quem não quiser saber, pode ler sem susto o livro.”

As edições 3a (1904), 4a (1913) e 5a (1920) de O que é o espiritismo, salvo pequenas mudanças, foram editadas a partir da versão de 1893. Sem nenhuma explicação, na 5a edição de 1920, desaparece esse subtítulo Noções elementares de Espiritismo, mudando a primeira parte para Noções elementares do mundo invisível, pelas manifestações dos Espíritos e assim está presente nas edições atuais da FEB.

A Federação Espírita Brasileira edita com o título principal de Manual do principiante espírita, só localizada a 3a edição de 1901, pela H. Garnier Editor, rua do Ouvidor, 71 a 73, Rio de Janeiro, com base na edição de 1893, de O que é o espiritismo, acrescentando a Biografia de Allan Kardec por Henri Sausse, sem nome de tradutor.

Relatório divulgado em Reformador de 1o de março de 1907, pág. 84, registra, entre as obras de Allan Kardec, “publicadas pela própria livraria”, O principiante espírita, cujo exemplar da 5a edição de 1917, de características semelhantes ao da 1a edição, revela no Sumário, a Biografia de Allan Kardec (H. Sausse) e dois capítulos finais, retirados de O que é o espiritismo.

Essa obra teve 15 edições, até 1969, num total de 90 mil exemplares. Provavelmente, a 1a edição de O principiante espírita é de 1906, pois esse título surge no Catálogo da Livraria da FEB em junho daquele ano.

A partir da 15a edição, de 1973, O que é o espiritismo, pela FEB, incorpora em definitivo a Biografia de Allan Kardec, de Henri Sausse, que fazia parte de O principiante espírita.

De acordo com Sausse, em 1862, o Codificador fez aparecer o opúsculo Réfutation des critiques contre le spiritisme au point de vue matérialiste, scientifique et religieux (Refutação às críticas contra o espiritismo, do ponto de vista do materialismo, da ciência e da religião), que jamais foi dada a público. Segundo Zêus Wantuil, Allan Kardec informou ter desistido de publicar o referido folheto em Viagem espírita em 1862, acreditando o pesquisador que esse material tenha sido utilizado na nova edição de O que é o espiritismo. (Zêus Wantuil e Francisco Thiesen, Allan Kardec, Pesquisa biobliográfica e ensaios de interpretação, FEB, v. III, cap. XVIII, p. 352.) (25) A FEB publica em 1966 a tradução para o esperanto (Kio estas spiritismo), por Ismael Gomes Braga e Porto Carrero Neto, com tiragem de 3.121 exemplares. Em 2009, é feita uma nova edição de mil exemplares.

Uma nova tradução em português de O que é o espiritismo, por Evandro Noleto Bezerra, foi publicada pela FEB em 2005, com tiragem de 10 mil exemplares e outra, de bolso, em 2010, com tiragem de 5 mil exemplares.

Em 2011, mais 3 mil exemplares foram impressos.
A tradução pela FEB, em português, de O que é o espiritismo, 1a edição especial de 2005 e a sua reimpressão de 2009, foi atribuída por engano, a Guillon Ribeiro.

Em 2009 e 2011, O que é o espiritismo, foi editado em francês, inglês e russo pelo Conselho Espírita Internacional (CEI).

No Brasil, são conhecidas as traduções de Júlio de Abreu Filho (Pensamento), Joaquim da Silva Sampaio Lobo (Edicel), Salvador Gentile (IDE), Albertina Escudeiro Seco (CELD), J. Herculano Pires (Edicel), Wallace Leal V. Rodrigues (Edicel e LAKE) e Torriere Guimarães (OPUS).

Para o tradutor Evandro Noleto Bezerra, […] este livro é uma espécie de introdução ao estudo da Doutrina Espírita, um manual que discorre sobre os pontos fundamentais do Espiritismo, em linguagem fácil e acessível a todas inteligências. Divide-se em três capítulos:
O primeiro, sob a forma de diálogos com um crítico, um cético e um padre, traz respostas àqueles que desconhecem os princípios básicos da Doutrina, bem como apropriadas refutações aos seus contraditores.
O segundo capítulo expõe partes da ciência prática e experimental, caracterizando-se como um resumo de O livro dos médiuns.

O terceiro capítulo é uma síntese de O livro dos espíritos, com a solução, apontada pela Doutrina Espírita, de problemas de ordem psicológica, moral e filosófica com que se debatia a humanidade. (26)

O que é o espiritismo, com 61 edições, mais de 650 mil exemplares editados desde 1884 até o presente, é um símbolo da iniciante atividade editorial da Casa de Ismael.

Jorge Brito

 


(24) N.E.: Texto redigido por Jorge Brito, pesquisador e assessor da vice-presidência na Área Editorial.

(25) N.E.: Na nova versão organizada por Zêus Wantuil, os três volumes foram condensados em dois volumes (v. I e II) e o título passou a ser Allan Kardec, o educador e o codificador, porém, no v. II esse capítulo foi suprimido, sendo necessário para consulta verificar a edição citada com três volumes.

(26) N.E.: Trecho transcrito da 4a capa de O que é o espiritismo, tradução de Evandro Noleto Bezerra.